sexta-feira, 28 de junho de 2013

Resolução Contran:349/2010 - transporte eventual de cargas ou de bicicletas nos veículos



                                   RESOLUÇÃO N. 349 DE 17 DE MAIO DE 2010


Esta Resolução foi alterada pela Resolução 589/2016, já atualizado em nosso site!

     Dispõe sobre o transporte eventual de cargas ou de bicicletas nos veículos classificados nas espécies automóvel, caminhonete, camioneta e utilitário.

foto www.usadosbr.com


RESOLVE:

                                                                 Capitulo I

                                                          Disposições Gerais



Art. 1º Estabelecer critérios para o transporte eventual de cargas e de bicicletas nos veículos classificados na espécie automóvel, caminhonete, camioneta e utilitário.

Art. 2º O transporte de cargas e de bicicletas deve respeitar o peso máximo especificado para o veículo.

Art. 3º - A carga ou a bicicleta deverá estar acondicionada e afixada de modo que:

I- não coloque em perigo as pessoas nem cause danos a propriedades públicas ou privadas, e em especial, não se arraste pela via nem caia sobre esta;

II- não atrapalhe a visibilidade a frente do condutor nem comprometa a estabilidade ou condução do veículo;

III- não provoque ruído nem poeira;

IV- não oculte as luzes, incluídas as luzes de freio e os indicadores de direção e os dispositivos refletores; ressalvada, entretanto, a ocultação da lanterna de freio elevada (categoria S3);

V- não exceda a largura máxima do veículo;

VI- não ultrapasse as dimensões autorizadas para veículos estabelecidas na Resolução CONTRAN nº 210, de 13 de novembro de 2006, que estabelece os limites de pesos e dimensões para veículos que transitam por vias terrestres e dá outras providências, ou Resolução posterior que venha sucedê-la.

VII- todos os acessórios, tais como cabos, correntes, lonas, grades ou redes que sirvam para acondicionar, proteger e fixar a carga deverão estar devidamente ancorados e atender aos requisitos desta Resolução.

VIII- não se sobressaiam ou se projetem além do veículo pela frente.


Art. 4º Será obrigatório o uso de segunda placa traseira de identificação nos veículos na hipótese do transporte eventual de carga ou de bicicleta resultar no encobrimento, total ou parcial, da placa traseira.

§1° A segunda placa de identificação será aposta em local visível, ao lado direito da traseira do veículo, podendo ser instalada no para-choque ou na carroceria, admitida a utilização de suportes adaptadores.

§2° A segunda placa de identificação será lacrada na parte estrutural do veículo em que estiver instalada (para-choque ou carroceria).

Alterado pela Res. CONTRAN 589/2016

Art. 4º Nos casos em que o transporte eventual de carga ou de bicicleta resultar no encobrimento, total ou parcial, quer seja da sinalização traseira do veículo, quer seja de sua placa traseira, será obrigatório o uso de régua de sinalização e, respectivamente, de segunda placa traseira de identificação fixada àquela régua ou à estrutura do veículo, conforme figura constante do anexo II desta Resolução. 

§1º Régua de sinalização é o acessório com características físicas e de forma semelhante a um para-choque traseiro, devendo ter no mínimo um metro de largura e no máximo a largura do veículo, excluídos os retrovisores, e possuir sistema de sinalização paralelo, energizado e semelhante em conteúdo, quantidade, finalidade e funcionamento ao do veículo em que for instalado. 

§2º A régua de sinalização deverá ter sua superfície coberta com faixas refletivas oblíquas, com uma inclinação de 45 graus em relação ao plano horizontal e 50,0 +/- 5,0 mm de largura, nas cores branca e vermelha refletiva, idênticas às dispostas nos para-choques traseiros dos veículos de carga. 

§3º A fixação da régua de sinalização deve ser feita no veículo, de forma apropriada e segura, por meio de braçadeiras, engates, encaixes e/ou parafusos, podendo ainda ser utilizada a estrutura de transporte de carga ou seu suporte. 

§4º A segunda placa de identificação será lacrada no centro da régua de sinalização ou na parte estrutural do veículo em que estiver instalada (para-choque ou carroceria), devendo ser aposta em local visível na parte direita da traseira. 

§5º Fica dispensado da utilização de régua de sinalização o veículo que possuir extensor de caçamba, no qual deve ser lacrada a segunda placa traseira.

§6º Extensor de caçamba é o acessório que permite a circulação do veículo com a tampa do compartimento de carga aberta, de forma a impedir a queda da carga na via, sem comprometer a sinalização traseira.

                                                                   Capítulo II
                                    Regras aplicáveis ao transporte eventual de cargas



Art. 5º Permite-se o transporte de cargas acondicionadas em bagageiros ou presas a suportes apropriados devidamente afixados na parte superior externa da carroçaria.

Comentário: Teto do veículo.

§1° O fabricante do bagageiro ou do suporte deve informar as condições de fixação da carga na parte superior externa da carroçaria e sua fixação deve respeitar as condições e restrições estabelecidas pelo fabricante do veículo

§2° As cargas, já considerada a altura do bagageiro ou do suporte, deverá ter altura máxima de 50 (cinquenta) centímetros e suas dimensões, não devem ultrapassar o comprimento da carroçaria e a largura da parte superior da carroçaria. (figura 1)


Y≤ 50 cm, onde Y = altura máxima;


X ≤ Z, onde Z = comprimento da carroçaria e X = comprimento da carga.




Art. 6º Nos veículos de que trata esta Resolução, será admitido o transporte eventual de carga indivisível, respeitados os seguintes preceitos:


I- As cargas que sobressaiam ou se projetem além do veículo para trás, deverão estar bem visíveis e sinalizadas. No período noturno, esta sinalização deverá ser feita por meio de uma luz vermelha e um dispositivo refletor de cor vermelha.


II- O balanço traseiro não deve exceder 60% do valor da distância entre os dois eixos do veículo.
(figura 2)




B ≤ 0,6 x A, onde B = Balanço traseiro e A = distância entre os dois eixos.


Art. 7º Será admitida a circulação do veículo com compartimento de carga aberto apenas durante o transporte de carga indivisível que ultrapasse o comprimento da caçamba ou do compartimento de carga.


                                                                      Capítulo III

                    Regras aplicáveis ao transporte de bicicletas na parte externa dos veículos


Art. 8º A bicicleta poderá ser transportada na parte posterior externa ou sobre o teto, desde que fixada em dispositivo apropriado, móvel ou fixo, aplicado diretamente ao veículo ou acoplado ao gancho de reboque.

Comentário: Parte posterior externa = traseira do veículo

§ 1º O transporte de bicicletas na caçamba de caminhonetes deverá respeitar o disposto no Capítulo II desta Resolução.

§ 2º Na hipótese da bicicleta ser transportada sobre o teto não se aplica a altura especificada no parágrafo 2º do Artigo 5°.

Comentário: Art 5º §2° As cargas, já considerada a altura do bagageiro ou do suporte, deverá ter altura máxima de 50 (cinquenta) centímetros e suas dimensões, não devem ultrapassar o comprimento da carroçaria e a largura da parte superior da carroçaria. (figura 1), até mesmo porque a bicicleta pode ser transportada na sua posição normal ( como se no solo estivesse), sobre o teto do veículo, naturalmente ultrapassando os 50cm.
Art. 9º O dispositivo para transporte de bicicletas para aplicação na parte externa dos veículos deverá ser fornecido com instruções precisas sobre:

I- Forma de instalação, permanente ou temporária, do dispositivo no veículo,

II- Modo de fixação da bicicleta ao dispositivo de transporte;

III- Quantidade máxima de bicicletas transportados, com segurança;

IV- Cuidados de segurança durante o transporte de forma a preservar a segurança do trânsito, do veículo, dos passageiros e de terceiros.

                                                                   Capítulo IV
                                                            Disposições Finais



Art. 10 Para efeito desta Resolução, a bicicleta é considerada como carga indivisível.

Art. 11 O não atendimento ao disposto nesta Resolução acarretará na aplicação das penalidades previstas nos artigos 230, IV, 231, II, IV e V e 248 do CTB, conforme infração a ser apurada.

Comentário:

Art. 230. Conduzir o veículo:

IV - sem qualquer uma das placas de identificação;

 
Art. 231. Transitar com o veículo:

II - derramando, lançando ou arrastando sobre a via:
a) carga que esteja transportando;
b) combustível ou lubrificante que esteja utilizando;
c) qualquer objeto que possa acarretar risco de acidente:


IV - com suas dimensões ou de sua carga superiores aos limites estabelecidos legalmente ou pela sinalização, sem autorização:

V - com excesso de peso, admitido percentual de tolerância quando aferido por equipamento, na forma a ser estabelecida pelo CONTRAN:

Art. 248. Transportar em veículo destinado ao transporte de passageiros carga excedente em desacordo com o estabelecido no art. 109:
  

Art. 12 Esta Resolução entra em vigor noventa dias após a data de sua publicação, ficam revogadas as Resoluções nº 577/81 e 549/79 e demais disposições em contrário.

8 comentários:

  1. Anônimo11/9/15

    Boa tarde!

    A resolução em seu artigo 5° diz as regras os transporte eventual de carga, principal, não passando a dimensão da carroçaria em comprimento. No artigo 6° já se fala em transporte eventual de carga indivisível, que já se pode passar o comprimento da carroçaria para trás do veículo em até 60% da distância entre eixos, balanço traseiro.
    O artigo 6° no que se refere ao balanço traseiro, se aplica só a caminhonete e camioneta, ou também ao automóvel? Visto que, o artigo 6° diz: "Nos veículos que tratam está resolução", isto inclui todos aqueles citados no artigo 1°.
    Posso ser autuado por estar levando uma carga eventual indivisível em um automóvel, seja hatch ou sedan, que o balanço traseiro dê até 60% da distância entre eixos?

    ResponderExcluir
  2. Anônimo11/9/15

    Boa tarde!

    A resolução em seu artigo 10, diz que a bicleta é uma carga indivisível e o parágrafo 1° do artigo 8, diz que para transporte da bicicleta em caminhonete deve respeitar o disposto no capítulo II desta resolução. Eu levando uma bicicleta na caçamba da caminhonete e esta fique com um pouco da roda para fora, mesmo com a caçamba aberta, cabe autuação? Estou seguindo o que diz sobre o balanço traseiro, sendo que não passou os 60% da distância entre eixos, é só uma parte da roda, visto também que, se trata de uma carga indivisível. Caberia autuação numa mesma situação se fosse uma moto no lugar de uma bicicleta? Ela também é uma carga indivisível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola meu caro,

      Nao tem problema o transporte de carga indivisível, como motocicletas ou bicicletas, desde que se respeite o limite de 60% da distância entre os eixos.

      Abraço!

      Excluir
  3. Olá... fui no site do Denatra e no link resoluções do Contran, não consta esta resolução 589. A lista termina em 585. Gostaria de ter acesso ao anexo II onde diz ter o desenho desta régua sinalizadora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola meu caro,

      Acabamos sendo mais rápidos que o site do DENATRAN. rs , pois publicamos as resoluções quando saem no DOU
      O anexo ainda nao foi publicado nem no DOU ou no DENATRAN, desse modo, somente apos a publicação no site do DENATRAN.

      Abraço!

      Excluir
  4. Anônimo5/9/16

    Como mencionado na referida Resolução, "bicicleta é uma carga indivisível", então o condutor de uma automóvel precisará do Curso de Cargas Indivisíveis para transporta a sua bicicleta?

    ResponderExcluir
  5. Anônimo10/10/16

    OLÁ BOA NOITE! MINHA DÚVIDA É A SEGUINTE, NOS CASOS EM QUE PODE TRANSITAR COM O FUNDO DA CAMINHONETE ABERTO, É NECESSÁRIO COLOCAR UMA SEGUNDA PLACA TRASEIRA?

    ResponderExcluir
  6. RICARDO21/11/16

    OLÁ BOA NOITE, MINHA DUVIDA É A SEGUINTE,NOS CASOS EM QUE PODE TRANSITAR COM O FUNDO DA CAMIONETE ABERTO,É NECESSÁRIO COLOCAR UMA SEGUNDA PLACA TRASEIRA?

    ResponderExcluir

Obrigado pela postagem ! Em breve será publicado.

RECOMENDAMOS

SITES PARCEIROS